Agilidade

Usando o Feature Team para grandes desafios

Quando o desafio é grande, por vezes acreditamos que o melhor a fazer é seguir com uma abordagem conhecida, segura, que já conhecemos os resultados. Aqui na  HypeFlame buscamos ter uma conduta diferente, já que percebemos que é aí que habitam ótimas oportunidades. Colocando em prática um conceito muito difundido no mercado, em um dos principais projetos estratégicos de 2020 o “Feature Team” foi a chave do sucesso da nossa iniciativa!

Vamos aprofundar alguns pontos bem relevantes do Feauture Team que podem ajudar a focar no que é necessário: a entrega de uma iniciativa específica do produto, com entrega de valor adiantada para o cliente, gerando vantagem competitiva. Esse modelo transformou o foco do time no cliente, diminuiu as dependências entre outros times e uma gerou comunicação mais clara e objetiva.

Aqui estão alguns conceitos que você precisa saber:

Component Team

Um time com capacidades para entregar um componente que faz parte de um processo ou parte de um produto, tendo ele especialidade de produto, tecnologia ou de negócio.  

Exemplo: Time de mesa de crédito, que entrega um componente de software para análise da etapa de aprovação de crédito do cliente para vários cenários de negócio: crédito pessoal, crédito consignado, refinanciamento e etc. 

Feature Team

Um time focado em entregar uma funcionalidade de negócio do início ao fim, garantindo todo o fluxo do cliente dentro da sua jornada naquele produto específico, tendo como diferencial multidisciplinaridade e baixa dependência de outros times ou áreas para que a entrega final possa ser feita. 

Exemplo: Time Portabilidade de Crédito Consignado Ativo, focado em construir a funcionalidade responsável por oferecer uma portabilidade ativa de crédito consignado ao cliente, desenvolvendo todas as etapas da jornada com multidisciplinaridade de especialidades no mesmo time. 

Quero trabalhar com Feature Team, por onde começar? Como diria Simon Sinek em seu famoso livro: “Comece pelo porquê”

Por que precisamos de um Feature Team? 

Feature Team não deve ser o foco e o seu objetivo, e sim uma abordagem para que possamos atingir algum objetivo. É o porquê do seu cliente, do seu negócio, da sua entrega de valor, e não pode ser a forma que você vai organizar seu time ou o desenvolvimento da funcionalidade. No nosso caso era porque precisávamos validar a viabilidade e aderência de uma funcionalidade específica para nosso cliente e obter alguns aprendizados de forma rápida. 

De posse dessa informação que foi o nosso grande norteador, nós fomos em busca de como fazer. Entendemos que a abordagem atual de Component Team não era adequada para o contexto, pois traria consigo muitas desvantagens como: 

  • Velocidadede lançamento para validação que precisávamos 
  • Dependências entre times e falta de capacidades especificas no dia a dia  
  • Custo de integração do desenvolvimento  

Por fim, demandaria mais tempo para que conseguíssemos lançar a funcionalidade do produto para validação no mercado. Então optamos por iniciar uma jornada com um Feature Team, pois havíamos pesquisado bastante sobre as abordagens e entendemos que esse modelo nos traria uma vantagem que precisávamos muito, que nesse caso era a velocidade de lançamento da funcionalidade. 

Então começamos na busca do nosso “o quê” – veja bem, já sabíamos qual era nosso “porque”, entendemos o nosso “como”, e agora fator chave seria definir de forma integra e objetiva o nosso “o quê”. 

Vale lembrar que todo o time em formação passa pelos estágios de forming, storming, norming e performing (Curva de Tuckman). Esse era um novo time, pois era uma nova abordagem, pessoas de outras equipes se uniram a um time base de iniciativa que, somado a essas novas especialidades, agora era a equipe no formato de Feature Team.

Um novo jeito de trabalhar, cada um com sua forma de entender, mas com um foco bem direcionado: assim foi lançado o desafio! Precisamos deixar claro o que estamos buscando, pois nosso objetivo era fazer uma entrega que normalmente levaria de 8 a 9 meses em 1 mês e meio, com todo o suporte e patrocínio possível para que acontecesse. Porém, isso só seria possível tendo a clareza máxima de todo contexto: “Porque”, “Como”, “O que”

Eis o nosso passo a passo, após o início da jornada do feature team: 

1- Aproximação de TODAS as partes envolvidas na iniciativas para um mega kickoff de projeto e story mapping (Link metodologia Story Mapping by Lambda3

2- Começo do refinamento e do material levantado com todos envolvidos na iniciativa para início do desenvolvimento 

3- Negociação de expectativas de prazo no dia 0, pois era preciso gerenciar a expectativa e deixar claro que precisávamos de um histórico mínimo de duas a três semanas para ver se nosso plano estava adequado ao nosso objetivo 

4 – Alinhamento frequente com demandantes que tinham expectativas de entrega e os envolvidos em fazer o desenvolvimento do valor de negócio para o cliente final 

Daí pra frente foi só gestão de backlog e histórico de entregas aliado à Lei de Little na Prática, buscando uma predição de dados fundamentada em objetivos atingidos de forma progressiva, o que foi entregue vs o escopo a ser feito vs o time ter as pessoas e capacidades necessárias para fazer aquele objetivo acontecer. Não foi fácil, foi e tem sido um constante aprendizado, mas deixou um legado que citarei abaixo: 

  • Realmente conseguimos atingir um alto nível de independência para o desenvolvimento da Feature 
  • O entendimento do que precisava ser feito foi sendo retroalimentado de forma incremental e continua durante o processo 
  • O time aprendeu a lidar com sua jornada e com suas capacidades de forma transparente e pró ativa 
  • O resultado de negócio ao término da primeira fase de homologação foi muito satisfatório 
  • Aprendemos que gestão de expectativa quando bem feita só traz vantagens para o desenvolvimento 
  • Entendemos que ainda não atingimos um nível de maturidade que acreditamos que podemos chegar, mas estamos convictos que para o nosso porquê a abordagem foi adequada 
  • Essa experiência deu origem a um movimento de times multidisciplinares que teve uma origem data driven (orientada a dados) 

Conclusão

Acreditamos que você deveria considerar a abordagem Feature Team pelo menos de forma experimental, para poder comparar as vantagens e desvantagens de cada abordagem. Também acreditamos que basear suas decisões em métricas e dados consistentes vai te apoiar nessa jornada.

Nos próximos posts do blog falaremos um pouco mais de como usamos as métricas a nosso favor. Estamos felizes com nossos resultados atingidos e seguiremos evoluindo nessa abordagem quando adequada ao contexto e, lembre-se, comece pelo porquê. 

%d blogueiros gostam disto: