Agilidade

Trabalhando com Upstream e Downstream no Kanban

Veja os benefícios que atingimos ao implementar o Upstream e Downstream nos boards.

  • Clara visibilidade dos processos para construção de software;
  • Histórias melhores escritas;
  • Backlog priorizado por valor para o cliente final; 

Antes, o time tinha os seguintes problemas: 

  • Pouca visibilidade de alguns processos que existem na construção de um backlog; 
  • Backlog grande e muitas vezes não priorizado; 
  • Itens no qual já se encontram desatualizados ou não escritos da melhor forma para              entendermos a demanda e valor; 
  • Times reativos na criação de backlog, dando a atenção ao backlog somente quando o épico que estava sendo atendido está acabando. Isso gera urgência e aperto na criação de demandas.

Upstream é a etapa onde estamos recebendo possíveis demandas a serem desenvolvidas pelo time, e em cada coluna estamos refinando o item em algum aspecto, ou validando se realmente possui valor, prioridade frente aos itens concorrentes. Tem este nome porque é a etapa onde abastecemos o time com possíveis demandas “UP”. 

HypeFlame Talks #1 Trabalhando com Upstream e Downstream no Kanban foi sobre este assunto! Assista aqui:

Você leitor, possui algum destes problemas, ou já passou por isso? Então esse texto é para você. Mostraremos como aplicamos/resolvemos isso na HypeFlame, mas antes disso precisamos apresentar alguns conceitos. 

Downstream é a etapa onde já foi definido que o item deve ser desenvolvido e possui as colunas necessárias para o desenvolvimento do item. Tem este nome pois é onde ocorre desabastecimento do board “Down”, ou seja as entregas em produção. 

Backlog de uma forma simples, poderíamos dizer que são os pedidos que nossos clientes gostariam que fossem desenvolvidos ou hipóteses a serem validadas. 

Então como o Upstream e Downstream nos ajudam com isso? 

Na verdade, o que faz a maioria destes problemas citados acima serem resolvidos é que o backlog acaba sendo quebrado nas etapas que ele realmente possui. Ex: Se temos uma demanda que é somente uma ideia, independentemente do método utilizado no mínimo exige que uma análise seja feita nesta ideia para que seja validada se realmente a mesma irá agregar valor, se via sistema ela pode ser desenvolvida (Tempo, Prazo, viabilidade sistêmica). Neste caso se o time receber esta demanda diretamente no backlog, com estes trabalhos ainda para serem realizados e o time já estiver demandando mais trabalho. Ocorrerá alguns dos problemas citados anteriormente. 

 Então, durante a utilização Up e Downstream serão identificados processos que antes não dávamos a devida atenção. Ex: Pesquisa da equipe de UX para verificar usabilidade e identificar se realmente a aplicação que está sendo pensada, é o que o cliente deseja na ponta. Isso é possível, porque as etapas do processo ficam expostas e assim deixando de forma simples e clara tudo que está ocorrendo. Também possibilita a verificação do fluxo diariamente, no qual conseguimos analisar se nenhuma etapa está faltando. 

Outra questão que ajuda muito é na criação de métricas, no qual sejam possíveis de forma clara identificar gargalos nos processos ou antecipar possíveis desabastecimentos ao longo do processo. 

Ou seja, há vários benefícios que podemos aproveitar da utilização upstream e downstream como mencionado durante este texto. E acreditamos que com este material conseguimos compartilhar um pouco das nossas experiências dentre os métodos e ficamos a disposição caso tenham alguma dúvida ou sugestão. 

Referências:

Kanban: Mudança Evolucionária de Sucesso Para Seu Negócio de Tecnologia – David J Anderson

https://blog.taller.net.br/upstream-kanban-gestao-do-fluxo-de-criacao-de-demandas/

%d blogueiros gostam disto: